sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Bailinho na Madeira

Estive 5 dias na Madeira; regressei na 6.ª feira (há uma semana), mas só hoje consegui chegar aqui onde estou. Primeiro, tive de pôr as coisas em ordem, incluindo o correio electrónico; depois, o meu computador (onde gravei as fotografias que fiz durante a viagem) "deu o berro", pelo que não podia ilustrar a minha mensagem. Agora, resolvi utilizar um portátil e começar o registo da viagem, sem imagens.
Em primeiro lugar, tenho de referir que, não sendo particular apreciadora de viagens de avião (nunca vou descontraída), não senti medo nem na aterragem nem na descolagem. O "novo" aeroporto nem sequer dá a sensação de estar "em cima do mar"; não foi por acaso que a obra recebeu um importante prémio mundial de engenharia civil. No percurso entre o aeroporto e o Funchal, fui observando um "céu" com múltiplas "estrelas" (o Funchal e os arredores com as suas casas e monumentos iluminados espalhados pelas encostas até ao mar). À noite, no hotel, havia animação e, como era domingo, com folclore madeirense. Lá fui, de máquina em punho, para as primeiras fotos na ilha; fiz apenas duas ou três, porque, entretanto, um simpático dançarino do rancho folclórico que actuava me veio buscar para dançar com ele (tinha uns seis ou sete anitos, não podia recusar, até porque adoro dançar). Foi um fim de dia muito animado, integrada num grupo com elementos de várias faixas etárias e de diferentes países. Claro que, no final, fui "cravada" pelo meu par para comprar uns "bonecos", importante e típico instrumento musical madeirense. Naturalmente, tive muito gosto em corresponder e trouxe um para os meus netos. Foi assim que a minha primeira actividade foi mesmo um bailinho na Madeira.
Na próxima mensagem deixarei outras impressoões da viagem.

3 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Só há postagens quando há saídas?:-)
E a resposta à pergunta anterior?
Fiquei pendurada sem saber se acertei ou não...

Abraço

carol disse...

Com que então a dançar o "balhinho" da Madeira, hein?! E a comprar bonecos e tudo. E uma fotozinha do Tio Alberto João não veio?!

map disse...

É verdade, Rosinha. E, mesmo assim,com bastante atraso. Como poderás ver, já respondi à tua mensagem sobre Barcelona.
Quanto à Carol, não tirei uma com o Alberto João, mas cruzei-me com ele, como poderás verificar quando eu publicar o próximo texto.Podia lá falhar!